RSS

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Procissão do Senhor Morto

Essa celebração dramática acontece na Sexta feira Santa. Prepara-se um Calvário, com o Senhor crucificado, acompanhado de algumas figuras bíblicas.
Em geral, aparecem a figura de Maria, Mãe de Jesus, caracterizada com o a Senhora das Dores. Tem-se o costume de se colocar Maria Madalena, Verônica, São João apóstolo e outros.
O pregador representa de forma dramática a Morte de Jesus, fazendo alusão às suas 7 últimas palavras. Algumas personagens, representando os discípulos, ajudam a tirar o crucificado da cruz, após a pregação que o sacerdote faz para cada gesto da descida da cruz. Tiram-se a coroa de espinhos, os cravos, os braços e depois todo o corpo. As personagens que despregam o crucificado têm o costume de se vestir com uma túnica branca e com um capuz na cabeça.
Após o sermão da descida da cruz, o corpo de Jesus, simbolizado pela imagem, é colocado num esquife funerário. Em silêncio e, com muita dor e piedade, é acompanhado em procissão pelas pessoas.
A procissão é seguida em silêncio, ao som das matracas e com cânticos de dor e piedade. A devoção popular faz dessa celebração o ponto alto da Semana Santa. Todos acompanham e rezam, como se fosse de fato um enterro real.
Há ainda o costume de se beijar o Senhor Morto após a chegada à Igreja, com clima de piedade, tristeza e meditação.
Existem algumas tradições populares que são marcantes na sexta feira Santa. Ao meio da Sexta feira Santa, muitos já vão à Igreja para o beijamento do Senhor Morto. Geralmente é uma imagem de tamanho natural, com cabelos naturais, que está deitada num esquife, com lençol e fronha bordados de roxo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário